Thursday, September 01, 2016

IARC identifica oito locais de câncer adicionais ligados ao excesso de peso e obesidade

IARC identifica oito locais de câncer adicionais ligados ao excesso de peso e obesidade

A+A-Alterar tamanho da letra
Avalie esta notícia

Nova avaliação efetuada por um grupo de 21 peritos internacionais independentes, convocados pela Agência Internacional de Investigação do Câncer1 (IARC), concluiu que o excesso de peso e a obesidade2 são fatores de risco para mais locais de câncer1 do que previamente estabelecido. Com base em uma revisão sistemática da literatura científica publicada, o Grupo de Trabalho forneceu a última avaliação dos efeitos da ação preventiva de ausência de excesso de gordura3 corporal. Um resumo dos resultados foi publicado hoje no The New England Journal of Medicine.
O grupo avaliou mais de 1000 estudos, incluindo ensaios de intervenção, estudos de coorte4 e caso-controle, estudos em animais experimentais e estudos sobre os mecanismos que ligam o excesso de gordura3 corporal e câncer1.
"Esta avaliação abrangente reforça os benefícios de manter um peso corporal saudável, a fim de reduzir o risco de vários tipos de câncer1", diz a Dra. Béatrice Lauby-Secretan, principal autora do novo artigo.
Os peritos confirmaram a avaliação prévia dos IARC Handbooks (Volume 6, publicado em 2002) de que a ausência de excesso de gordura3 corporal reduz o risco de câncer1 de cólon5 e reto6, esôfago7 (adenocarcinoma8), rim9 (carcinoma10 de células11 renais), de mama12 em mulheres na pós-menopausa13 e no endométrio14 (útero15).
Além disso, a revisão da literatura disponível para adultos de meia-idade mostrou que há provas suficientes em humanos de que a ausência de excesso de gordura3 corporal reduz o risco de câncer1 gástrico da cárdia, fígado16, vesícula17, pâncreas18, ovário19 e tireoide20, meningioma (um tipo de tumor21 cerebral) e mieloma22 múltiplo.
Existe também evidência limitada de que a ausência do excesso de gordura3 corporal reduz o risco de câncer1 da próstata23, câncer1 de mama12 em homens e linfoma24 difuso de grandes células11 B
O Grupo de Trabalho também analisou dados relativos à gordura3 corporal em crianças, adolescentes e adultos jovens (com idade até 25 anos) para avaliar se a obesidade2 em períodos anteriores da vida está ligada ao câncer1 na vida adulta. Em vários locais de câncer1, incluindo o cólon5 e o fígado16, foram observadas associações entre excesso de peso e cânceres que foram semelhantes aos relatados em adultos.
Está bem estabelecido que o excesso de peso em animais experimentais aumenta a incidência27 de vários tipos de câncer1. Estudos em animais com excesso de peso mostraram que a restrição calórica na dieta reduz o risco de cânceres da glândula28 mamária, cólon5, fígado16, pâncreas18, pele29 e glândula28 pituitária.
A gordura3 corporal é avaliada principalmente pelo índice de massa corporal30 (IMC31), definido como o peso de uma pessoa em quilos dividido pelo quadrado da sua altura em metros (kg/m²). Em adultos, o sobrepeso32 é definido como IMC31 ≥ 25 kg/m² e obesidade2 como IMC31 ≥ 30 kg/m². Em todo o mundo, estima-se que 640 milhões de adultos eram obesos em 2014 (um aumento de seis vezes desde 1975) e 110 milhões de crianças e adolescentes eram obesos em 2013 (um aumento de duas vezes desde 1980). A prevalência33 estimada de obesidade2 em 2014 por idade-padrão foi de 10,8% nos homens, 14,9% em mulheres e 5% em crianças, e globalmente mais pessoas estão com sobrepeso32 ou obesas do que estão abaixo do peso.
Em 2013, um número estimado de 4,5 milhões de mortes no mundo foi atribuído ao sobrepeso32 e à obesidade2. A identificação de novos locais de câncer1 relacionados à obesidade2 irá aumentar o número de mortes em todo o mundo atribuível à obesidade2.
"A nova evidência enfatiza o quanto é importante encontrar formas eficazes, a nível individual e social, de implementar as recomendações da Organização Mundial de Saúde34 para melhorar os padrões dietético e de atividade física ao longo da vida, uma vez que o câncer1 e outras doenças não transmissíveis podem ser combatidas ", segundo o Dr. Christopher Wild, diretor da IARC.
Estas avaliações serão publicadas como IARC Handbooks of Cancer1 Prevention Volume 16.

No comments: