Thursday, April 16, 2015

The Lancet: inibição da PCSK9 com evolocumab na hipercolesterolemia familiar homozigótica reduz significativamente o colesterol LDL

The Lancet: inibição da PCSK9 com evolocumab na hipercolesterolemia familiar homozigótica reduz significativamente o colesterol LDL

The Lancet: inibição da PCSK9 com evolocumab na hipercolesterolemia familiar homozigótica reduz significativamente o colesterol LDL
hipercolesterolemia familiar homozigótica é uma doença rara, grave, caracterizada por baixa absorção celular de colesterol LDL,aumento das concentrações de colesterol LDL no plasmadoençacardiovascular prematura. Os tratamentos hipolipemiantes convencionais são modestamente eficazes. O evolocumab, um anticorpo monoclonal para proproteína convertase subtilisina/kexin tipo 9 (PCSK9), reduziu o colesterol LDL em 16% em um estudo piloto. O presente estudo, publicado pelo The Lancet, apresenta os resultados do evolocumab em um estudo randomizado.
Este ensaio duplo-cego, randomizado, de fase 3, controlado com placebo, foi realizado em 17 locais em 10 países da América do Norte, Europa, Oriente Médio e África do Sul. Cinquenta pacientes elegíveis (idade ≥12 anos), com hipercolesterolemia familiar homozigótica, em terapia de regulação lipídica estável por pelo menos quatro semanas e não recebendo aférese com lipoproteína, foram distribuídos aleatoriamente por uma sequencia de randomização gerada por computador em uma proporção de 2:1 para receber 420 mg de evolocumab subcutâneo ou placebo, a cada quatro semanas, durante doze semanas. A randomização foi estratificada pelo colesterol LDL na triagem (<198 class="postTip word_cnt_941167_11" nbsp="" span="" style="border-bottom-color: rgb(0, 102, 204); border-bottom-style: dashed; border-bottom-width: 1px; font-family: inherit; font-size: inherit;" tip="" tipwidth="450">mg/dl
 ou ≥198 mg/dl) e implementado por um sistema computadorizado de resposta interativa de voz. Os pacientes, o pessoal envolvido no estudo e o financiador foram mascarados para o tratamento e os resultados de eficácia pelo Laboratório Central, não enviando resultados de exames de colesterol LDL ou qualquer resultado de lipídios para as clínicas após a consulta inicial. O resultado primário foi a variação percentual na ultracentrifugação do colesterol LDL do início até a 12ª semana, em comparação com o placebo, analisados por intenção de tratar.
Dos 50 pacientes elegíveis, aleatoriamente designados para os dois grupos de tratamento, 49 realmente receberam o medicamento e completaram o estudo (16 no grupo placebo e 33 no grupo evolocumab). Comparado ao placebo, o evolocumab reduziu significativamente o colesterol LDL em 12 semanas em 30,9% (IC 95% -43,9% para -18,0%, p<0 10="" 16="" adversos="" class="postTip word_cnt_941167_9" do="" dos="" em="" emergentes="" eventos="" grupo="" nbsp="" no="" ocorreram="" pacientes="" span="" style="border-bottom-color: rgb(0, 102, 204); border-bottom-style: dashed; border-bottom-width: 1px; font-family: inherit; font-size: inherit;" tip="" tipwidth="450" tratamento="">placebo
 e 12 (36%) dos 33 pacientes no grupo evolocumab. Nenhum evento adverso clínico ou laboratorial grave ocorreu e não houve desenvolvimento de anticorpos anti-evolocumab detectáveis durante o estudo.
Os resultados deste estudo mostraram que nos pacientes com hipercolesterolemia familiar homozigóticaavaliados, o evolocumab (420 mg, administradas a cada 4 semanas) foi bem tolerado e reduziu significativamente o colesterol LDL em comparação com o placebo.

No comments: