Thursday, April 16, 2015

Recomendações da National Lipid Association para manejo das dislipidemias apresenta diferenças em relação ao protocolo daAmerican Heart Association e American College of Cardiology

Recomendações da National Lipid Association para manejo das dislipidemias apresenta diferenças em relação ao protocolo daAmerican Heart Association e American College of Cardiology

Recomendações da National Lipid Association para manejo das dislipidemias apresenta diferenças em relação ao protocolo da American Heart Association e American College of Cardiology
National Lipid Association (NLA) lançou as novas recomendações para a gestão da dislipidemia em sua reunião anual, em Orlando, na semana passada, com algumas diferenças em relação ao protocolo de colesterol do American College of Cardiology (ACC) e da American Heart Association (AHA), emitido em novembro de 2013.
Existem várias áreas de acordo entre a orientação da NLA e o protocolo do ACC/AHA, incluindo:
  • Foco em intervenções no estilo de vida para prevenir a doença cardiovascular aterosclerótica.
  • Ênfase em uma discussão entre o paciente e seu médico sobre os objetivos do tratamento, a redução do risco potencial, os possíveis efeitos colaterais das medicações, as preferências do paciente e outras questões antes de iniciar a terapia medicamentosa.
  • Declaração de que a terapia de redução de risco deve ser ajustada de acordo com o risco absoluto de doença cardiovascular de cada paciente.
  • Preferência por estatinas como principal terapia medicamentosa hipolipemiante.
No entanto, há divergências entre a orientação da NLA e as recomendações do ACC/AHA em aspectos importantes.
  • Em primeiro lugar, ele não inclui uma recomendação para usar a nova calculadora de risco do ACC/AHA, mas recomenda a utilização do National Cholesterol Education Program Adult Treatment Panel III Framingham Risk Score para determinar o risco de eventos de doença coronariana em 10 anos.
  • Em segundo lugar, as orientações da NLA mantêm metas firmes de tratamento que foram eliminadas no protocolo de colesterol do ACC/AHA. Pacientes com risco baixo a alto devem ter como objetivo de tratamento do colesterol não HDL valores inferiores a 130 mg/dL, enquanto aqueles com um risco muito elevado devem ter como meta níveis inferiores a 100 mg/dL, de acordo com o projeto de recomendações.
A NLA aceitará comentários sobre o novo projeto de recomendações até 31 de maio de 2014.

No comments: