Monday, December 11, 2006

cancer

Informes aos pacientes

O Instituto Nacional do Câncer (Inca) na publicação Estimativa da Incidência por Câncer no Brasil para 2006- afirma que, no Brasil, aparecerão 472.050 novos casos de câncer em 2006, sendo o de pele não melanoma o mais incidente, somando um total de 116 mil casos novos. Os mais comuns entre os homens serão o de próstata e de pulmão, e que a maior incidência será o câncer de mama e de colo do útero entre as mulheres. Do total geral quase metade, 234.570 novos casos de câncer entre os homens, e de 237.48 0 entre as mulheres. Depois do câncer de pele não melanoma, o mais incidente será o de mama, com 49 mil novos casos, seguido do de próstata (47 mil), pulmão (27 mil); cólon e reto (25 mil); estômago (23 mil) e de colo do útero (19 mil). Em relação ao ano de 2005, houve um aumento na previsão de novos casos da doença ( 467.440). Os cânceres mais incidentes entre homens e mulheres permaneceram os mesmos. Este aumento, entretanto, pode ser reflexo de uma melhora nos registros da doença e verificação de dados. Os anos a mais na expectativa de vida faz com que os brasileiros fiquem mais tempo expostos aos fatores de risco, e ao desenvolvimento da doença. Os cânceres em 2006 que mais vão atingir pacientes do sexo masculino, além do de pele não melanoma (55 mil casos novos), serão o de próstata (47 mil); pulmão (18 mil); estômago (15 mil); cólon e reto (11 mil). Para o sexo feminino, destacam-se os cânceres de pele não melanoma (61 mil casos novos); mama (49 mil); colo do útero (19 mil); cólon e reto (14 mil); e pulmão (9 mil). O Sul e o Sudeste apresentam as maiores taxas, em comparação às regiões Norte e Nordeste. As taxas da região Centro-Oeste apresentam, um padrão intermediário. Sabe-se que quanto mais desenvolvida for uma região, maior será sua tendência de registrar novos casos da doença. Na região Sudeste, por exemplo, estima-se que aparecerão 249.750 novos casos de câncer, enquanto no Norte este total é de 17.270. Isso se deve, a fatores de comportamento de estilo de vida tipicamente urbano. O câncer de mama, segundo o relatório, tende a atingir muito mais as mulheres da região Sudeste, somando 28.640 novos casos. Um reflexo não só do aumento na expectativa de vida, como do fato de as mulheres estarem engravidando mais tarde e tendo menos filhos, por exemplo. O Brasil segue a tendência dos países mais desenvolvidos de aumento do número de casos de câncer, devido a uma maior expectativa de vida. S.Bernatsky e colaboradores, epidemiologistas do Canadá e dos Estados Unidos afirmam, que as doenças reumáticas que tem um componente imunológico poderiam aumentar a incidência de câncer, mas não há muitos dados comprobatórios. As principais doenças que podem acontecer essa associação são artrite inflamatória, síndrome de Sjogren, lúpus eritematoso sistêmico e esclerose sistêmica / esclerodermia.

Fonte: Curr Opin Rheumatol. 2006 Mar;18(2):129-34

No comments: