Wednesday, August 07, 2013

Estrutura arterial incompleta pode contribuir para a enxaqueca

  • APA
  • 31 Visualizações
    4 estrelas
A formação defeituosa do círculo de Willis tem papel crucial no desencadeamento da enxaqueca, de acordo com pesquisadores norte-americanos. Isso leva a variações no fluxo sanguíneo que podem induzir a cefaleia, relatam os médicos na revista científica "PLOS One".
Cento e setenta pessoas foram incluídas no estudo da Universidade da Pensilvânia na Filadélfia. Elas foram divididas em três grupos: sem cefaleia, enxaqueca com aura e enxaqueca sem aura. Os pesquisadores examinaram suas estruturas vasculares e o fluxo sanguíneo cerebral usando angiografia por ressonância magnética e rotulagem de spin arterial.
Isto revelou que o círculo de Willis incompleto é predominantemente encontrado em portadores de enxaqueca com aura, a saber, 73%. Os pacientes com enxaqueca sem aura e os participantes sem cefaleia foram menos afetados (67% e 51%, respectivamente).
Os cientistas pressupõem que essas alterações estruturais no suprimento sanguíneo do cérebro aumentam a suscetibilidade a alterações no fluxo sanguíneo cerebral e, portanto, contribuem para uma atividade neuronal anormal, envolvida na instalação da enxaqueca. "Anomalias tanto no círculo de Willis como no fluxo sanguíneo foram mais proeminentes na parte posterior do cérebro, onde o córtex visual está localizado. Isto ajuda a explicar por que a aura mais comum na enxaqueca consiste em sintomas visuais como distorções, manchas ou linhas onduladas", explicou o autor principal, John Detre.

No comments: