Wednesday, October 21, 2009

Tomei a iniciativa de fazer esta carta, pois vejo que esta havendo um terrível mal entendido nas relações médico paciente no momento em que vivemos, daí minha iniciativa a elucidar algumas praticas do tratamento medico como medicação prescrita , exames pedidos, orientações , e outras duvidas que por ventura venham a aparecer.

Primeiramente , o tratamento medico com medicamentos esta escrito na receita , qualquer duvida com relação ao medicamento como a maneira de tomar, o horário, quantos comprimidos, o tempo de uso, (se especificado, coso não esteja o medicamento é de uso continuo). Caso tenha algum problema com relação ao medicamento entre em contato com seu médico para melhor orientação , jamais pare a medicação totalmente.

Caso o medico de uma dieta a ser seguida , esta deve ser seguida pelo tempo determinado para o tratamento a que se deve, por exemplo, colesterol elevado a dieta deve ser mantida ate que ele volte ao normal. Não se deve comer nada fora da dieta até o colesterol ou o que for voltar ao normal. Depois existe a possibilidade de fazer uma dieta de manutenção mais branda.

Quanto a bebida alcoólica, ela não deve ser tomada em hipótese alguma , a não ser que a pessoa não tenha problemas de saúde.

Em caso de passar mal vá ao pronto socorro, você ao fazer isso não está mudando de médico , está apenas fazendo uso de um serviço fornecido uma clínica ou hospital por um período temporário onde há a necessidade de recursos mais rápidos, posteriormente no outro dia com calma procure seu médico para que ele possa ver o que aconteceu e dar continuidade ou mudar a linha de tratamento ou ainda ajustar o tratamento.


Caso você vá a um médico de outra especialidade você deve avisar sobre os tratamentos que faz e os remédios que toma, com isso o mesmo vai passar medicação compatível com seu tratamento já em andamento, se este profissional não solicitar não há necessidade de perguntar para todos os médicos que você passa se pode tomar a medicação.

No caso ainda do pronto socorro caso seja receitado algum medicamento este deve ser tomado pois por lei os médicos do pronto socorro estão capacitados a atender qualquer tipo de emergência mesmo em pacientes cardíacos ou com outros problemas de outras especialidades , esta diretriz é controlada pela direção clínica do hospital no ato da contratação do médico colocado na função de socorrista, portanto a situação do médico atendente socorrista dizer que não pode fazer nada não passa de inexperiência e neste caso o paciente deve solicitar a presença de um médico mais experiente , e ter a informação que todo hospital ou clínica tem um plantão a distancia de especialidades, e alguns até UTI onde o profissional lá de plantão é seguramente mais experiente e pode elucidar melhor o caso , ou tirar a duvida quanto a uma medicação ou outras coisas

Bom senso. O paciente não tem obrigação de saber informações técnicas de medicina, porém o mesmo deve cultivar o bom senso, por exemplo: paciente vai numa farmácia verificar a pressão e tem o valor de 80 x 40 em uma pessoa que não esta sentindo absolutamente nada, normalmente o paciente nestes casos corre desesperado para o médico. Muito bem, nesta pressão arterial o individuo deveria estar desmaiando ou já desmaiado, quanto mais conseguiria correr para o médico. Sua pressão estava muito baixa? Não !!!!
A medição foi errada ou o aparelho não estava bem calibrado. Cada alteração num exame ou numa medida corresponde a sintomas de mal estar de modo geral, salvo em casos em casos de pressão alta que podem ser assintomáticos. Outro exemplo : o paciente passa mal com dor no peito vai ao pronto socorro, o médico diz ser infarto , começo de infarto e etc...
Faz os exames de rotina e libera o paciente dizendo ter sido um “infartozinho” ou “ principio de infarto”, estas palavras de aparência inocente no jargão médico referem-se a entidades clínicas como angina instável ou angina pré infarto ou infarto não Q, que devem ser internadas para comprovação e melhor avaliação , mas na hora ninguém questiona isso vai feliz para casa. Nestas situações o paciente ou familiares devem argumentar sobre internação ou melhor explicação do diagnostico visto se estava sendo liberado não se constituía em nenhuma das entidades acima. Caso não estejam satisfeitos peçam a presença do diretor clinico do hospital pois ele é o responsável pelo que acontece no pronto socorro.

Peça sempre um relatório ao sair do pronto socorro, com os procedimentos que foram realizados e medicamentos usados , para que posteriormente seu medico possa saber o que ocorreu com mais precisão. Esse relatório é por lei direito do paciente e dever do médico assistente no pronto socorro.

No comments: